Apostar Copa do Mundo 2018

Apostar nos não-favoritos do Mundial 2018

4 Março 2018
par admin

Uma das apostas mais interessantes para realizar no próximo Mundial da Rússia de 2018 é a de investir alguns euros em que uma das selecções não-favoritas disputará a final ou até ganhará o campeonato. Não estamos a falar em confiar cegamente numa selecção com possibilidades realmente remotas mas sim de uma equipa que, com um pouco de sorte e em bom estado de forma, pode ir abrindo caminho até à final (embora já se tenham visto casos mais raros, por exemplo, quando a selecção da Grécia conquistou o título de Campeão da Europa na edição de 2004, contra todas as probabilidades…).

Portugal Repetirá a proeza?

Quando o Euro 2016 começou, quase ninguém (ou ninguém mesmo) podia acreditar que Portugal tornar-se-ia finalmente Campeão, roubando o título, nem mais nem menos, aos próprios anfitriões. Mas o futebol é imprevisível e não, não é justo. Por isso é que a equipa lusa de há 10 anos trás, liderada por ilustres jogadores de futebol como Rui Costa ou Luís Figo, não ganhou nada e a sua versão actual, com bastante menos talento e em que Cristiano Ronaldo é literalmente uma ilha, sim. A sorte é um factor que deve ser levado a sério e, curiosamente, o aumento do número de equipas na última edição do Europeu beneficiou profundamente a selecção portuguesa. Graças a isso, pôde entrar nos oitavos-de-final como um dos terceiros melhores do grupo F. Apesar de, não ter brilhado em absolutamente nada na lamentável fase de grupos em que calhou, em que cada confronto foi sinónimo de empate (à excepção do último jogo e graças à extraordinária exibição do atacante do Real Madrid).

Agora perguntamos, quem diz que a equipa liderada por Fernando Santos não vai repetir a proeza neste Mundial? Se a sua estrela principal chegar fisicamente em boa forma e se alguns dos seus escudeiros – como Moutinho, Nani ou André Gomes – responderem, não seria de todo estranho vê-los lutar de novo por outro título internacional.

Itália, siempre quando é necessário

A não ser que tenhamos uma enorme surpresa, a Itália terá de jogar os play-offs (e ganhar) se quiser desfrutar de um lugar no Campeonato Mundial de 2018. Parece não estar no seu melhor e, depois de ter sido arrasada (mais por jogo do que por resultado) por Espanha durante a fase de qualificação, são cada vez mais os que acreditam que a equipa liderada pelo veterano Gianluigi Buffon não fará mais que o ridículo na Rússia. Pode acontecer, mas todos os que percebem deste desporto conhecem a sua habilidade competitiva. Poucas selecções no mundo do futebol são capazes de aumentar tanto as suas performances em momentos de necessidade como a equipa liderada por Giampiero Ventura. Não é por acaso, a sua história protege-os: capazes de derrubar a todo-poderosa Alemanha no Mundial de 2006 e ganhar aos trambolhões na final contra uma técnica França.

Irão com as mesmas intenções nesta edição de 2018. Para isso, contam com algumas doses de talento (Verratti, De Rossi, Inmobile…) e com a inestimável experiência e estimulação mental dos eternos Chiellini, Bonucci, Barzagli ou do próprio Buffon. Agora pode parecer um disparate, mas quando chegar o momento da verdade, pode não ser uma má ideia apostar alguns euros em Itália (como em tantas outras ocasiões).

Argentina, acreditamos em Messi e Em Dybala

Ninguém duvida do descomunal poder ofensivo da La Albiceleste. No entanto, a equipa parece não conseguir aumentar o seu número de títulos de prestígio. Alguns dirão que do que possuem em cima, carecem em baixo. Outros, os mais drásticos, irão agarrar-se à sorte e às conspirações interplanetárias. Mas o que não se pode negar é que jogadores como Messi, Dybala, Di María, Pastore ou Hinguain actuam como uma caricatura de si mesmos sempre que lhes cabe assegurar o destino do seu país. Como é possível, por exemplo, que uma equipa que conta nas suas fileiras com o que é, para muitos, o melhor futebolista de todos os tempos, Lionel Messi, não seja capaz de ganhar uma Copa América ou um Mundial?

Esta maré de azar não pode durar para sempre, vão muitas séries de penalidades e finais cortados por alguma reviravolta inesperada. É uma questão de estatística e o Mundial da Rússia de 2018 pode ser o ano da consagração definitiva de la pulga. Se a equipa sul-americana se qualificar (neste momento encontra-se em posição de “repescagem” com 2 partidas por jogar), se conseguir resolver os seus problemas defensivos e se tiver alguma sorte nos oitavos-de-final, não há baliza que a envergadura ofensiva dos jogadores que compõem a frente argentina não consiga perfurar. Acreditamos, portanto, que pode ser uma boa aposta e uma mais que possível fonte de alegria.

Chile, o ignorado que ninguém espera?

A priori pode parecer um disparate apostar na La Roja. No entanto, se pararmos um momento para analisar mais profundamente o assunto, pode ser exactamente o oposto: uma opção sensata e sensacional. Sim, é possível que não seja uma França, um Brasil, uma Alemanha ou uma Espanha, mas o seu potencial é enorme e certamente as odds das casas de apostas não o vão reflectir, o que provavelmente irá converter a aposta de “Chile Vencedor do Mundial” numa value bet.

O Chile vem depois de ganhar as duas últimas edições da Copa América. Se levarmos isto para o terreno de Mundiais, o seu desempenho de 2014 também foi notável: foi eliminado nas penalidades pelo Brasil nos quartos-de-final, mas conseguiu derrubar Espanha (que defendia o título) na fase de grupos. A selecção do Cone Sul é resistente e conta com futebolistas excepcionais como Claudio Bravo, Vidal e Alexis Sánchez. Além disso, a filosofia que Sampaoli deixou foi muito bem beneficiada pelo seu sucessor, Juan Antonio Pizzi, tornando o plantel sólido e competitivo. O problema é que a selecção ainda não está classificada e, com 2 partidas por jogar, ocupa o sexto lugar, o que a deixaria fora do Campeonato Mundial. Mas se o Chile for bem-sucedido, estamos convencidos de que irá desempenhar um papel mais que digno e, quem sabe? Talvez consiga competir pelo precioso troféu.

  • Artigos